Live Evil
BORKNAGAR - Hangar 110 (SP)
Live Evil
ROGER HODGSON (SP)
Rock de Campinas
'Inside Note (Nota Interior)'
Live Evil
LACUNA COIL - Teatro Odisseia (RJ)
Live Evil
THE PRETTY RECKLESS (SP)
Alekto
Coletiva de imprensa
Live Evil
KORZUS / NO WAY / TORTURE SQUAD (SP)
Entrevista
HELLISH GRAVE: VIVENCIANDO O UNDERGROUND
Entrevista
KORN - Alma, coração e colhões
Live Evil
BELPHEGOR - Manifesto Bar (SP)
Próxima
Qual banda do cast do Maximus Festival você mais quer ver?
Linkin Park
Prophets of Rage
Slayer
Rob Zombie
Ghost
Five Finger Death Punch
Hatebreed
Böhse Onkelz
Red Fang
Pennywise
Nem Liminha Ouviu
Rise Against
Dead Fish
The Flatliners
Oitão
26 de Março 2017
RSS

12/12/2016
15:21 Live Evil



MIKE VESCERA
Sebastian Bar - Campinas (SP)
9 de dezembro de 2016
Por Antonio Carlos Monteiro / Fotos: Cristina Mochetti
 
Mike Vescera certamente não fazia noção de que tinha tantos fãs em Campinas. Mas percebeu isso assim que pisou no palco do Sebastian Bar e atacou de "Vengeance", que ele gravou com Yngwie Malmsteen no disco "Magnum Opus" (1995). Além da aclamação que recebeu, não só o refrão, mas toda a letra foi cantada pela galera que compareceu ao Sebastian, que agora ingressa em nova fase, prometendo grandes atrações para 2017.

Além de entrar em cena com o jogo ganho e plateia na mão, Mike retribuiu não apenas cantando, mas mostrando uma simpatia absurda. Rindo o tempo todo, brincando e conversando bastante com a plateia, o vocalista não estava sendo político: todos que tiveram contato com ele disseram que Vescera é uma pessoa fácil de lidar e completamente avessa a estrelismo. Ponto pra ele.



Pelo repertório, ficava claro que o auge de sua carreira foi mesmo no final dos anos 80 e na década seguinte – afinal, atualmente ele tem atuado bastante como produtor em seu estúdio The Toy Room (nome genial!) em Nashville e apenas participado de projetos específicos como vocalista. Assim, seu show foi baseado nos trabalhos que gravou com Loudness (foram quatro músicas, tiradas dos discos "Soldier Of Fortune", de 1989, e "On The Prowl", de 1991) e Yngwie Malmsteen (apresentou cinco temas, quatro de "The Seventh Sign", de 1994, e a já citada "Vengeance", de "Magnum Opus", que saiu no ano seguinte). E é aí que cabe um parênteses muito importante: não é novidade para ninguém que reproduzir o que Loudness e Malmsteen fizeram/fazem não é tarefa exatamente simples. Pois a banda montada com músicos campineiros deu conta do recado com sobra. Kiko Shred (guitarra e backing vocals), Rafael Borges (teclado e backing vocals), William Costa (baixo) e Lucas Miranda (bateria) mostraram talento e grande entrosamento, recebendo elogios até do próprio Vescera. E cabe mais um detalhe: o que Kiko Shred está tocando é algo difícil de descrever, tanto que em mais de uma oportunidade Mike apontou para ele balançando a cabeça em sinal de aprovação. A destreza que o guitarrista mostrou ao reproduzir solos de Malmsteen e Akira Takasaki foi de encher olhos e ouvidos de quem gosta de uma guitarra bem tocada.



Ao final de um show que poderia ter durado muito mais, algumas surpresas. A primeira foi "No Rules", que ele gravou com o Dr. Sin ainda como convidado no disco "Insinity" (1997). Depois, uma belíssima versão de "Pictures Of Home", do Deep Purple, na qual o vocalista deu espaço para a banda brilhar. E no desfecho uma dobradinha do não mesmo essencial Rainbow, "Man On The Silver Mountain" e "Long Live Rock’n’Roll", sempre acompanhado pelos fãs, que cantaram o show inteiro e aplaudiram sem parar.

Encerrado o show, sem bis, Vescera fez o velho ritual de encontrar com os fãs e tirar fotos, dar autógrafos etc. Sempre com o mesmo sorriso no rosto. Uma lição para muita gente menos famosa e menos talentosa que ele.



Roadie Crew copyrights © 2011 - All Rights Reserved - Todos os Direitos Reservados - Melhor visualizado em 1024x768