13 de Dezembro 2017
RSS
Edição:
#115
Mês:
AGO
Ano:
2008
DESTAQUES SEÇÕES
Christian Death
Blue Cheer
Alabama Thunderpussy
Belphegor
Desaster
Hudson Cadorini
Judas Priest
Michael Kiske
Phil Anselmo
Samael
Stomachal Corrosion
Symmetrya
The Ordher
Background - Blue Öyster Cult - Parte I
Backspage
Blind Ear - BJ (vocalista do Tempestt)
ClassiCrew
Eternal Idols - David Wayne
Garage Demos
Hidden Tracks - The Rods
Live Evil - Avantasia
Releases CDs
Releases DVDs
Roadie Metal Comics
Roadie Profile - Marcello Ledd (Hicsos)
Roadie Collection - ZZ Top
Stay Heavy Report
Live Evil - New England Metal And Hardcore Festiva
Live Evil - Roça 'N' Roll
Live Evil - Eric Martin / Dr. Sin - Van Canto / Tu
Poster - Led Zeppelin
Editorial
Phil Anselmo
PHIL ANSELMO SOLTA O VERBO: TUDO DE PANTERA A DOWN Por Thiago Sarkis Enquanto o Heavy Metal agonizava em termos de popularidade na década de noventa, o Pantera aparecia como o representante que fazia o estilo respirar no 'mainstream'. Curiosamente, o quarteto texano não jogava no time das bandas que produziam baladas e músicas normalmente abraçadas pelas rádios. Pelo contrário, destacava-se por um som visceral e arrebatador deflagrado após quatro álbuns dedicados ao Glam Metal/Hard Rock. Atropelando tudo que tinha pela frente com assombrosa agressividade, o grupo chegou primeira posição da Billboard na semana de lançamento de seu sétimo álbum, Far Beyond Driven (1994), triunfando sobre Toni Braxton, Soundgarden e Ace Of Base. Ainda hoje, um marco, principalmente pelo disco em questão ser considerado o mais extremo da história a liderar as paradas norte-americanas, façanha esta registrada também na Austrália. Dentre os responsáveis pelo feito estava o vocalista Philip Hansen Anselmo, conhecido como Phil Anselmo, nascido a 30 de junho de 1968 em Nova Orleans, Louisiana, Estados Unidos. Naquele grande momento de sua carreira, aos vinte e cinco anos. Hoje, aos quarenta, ao invés de transparecer alegria e êxito ao se expressar, como suporíamos depois de tanto sucesso, ele carrega em sua poderosa voz as dores de eventos trágicos, caminhos tortuosos que percorreu, atitudes e escolhas que lhe custaram caro, e perdas definitivas. Um ídolo com feridas em carne viva que lutou para se erguer da lona e que, de certa maneira, vê-se novamente de pé ao lado de seus companheiros do Down, com os quais gravou o brilhante III: Over The Under (2007).
Roadie Crew copyrights © 2011 - All Rights Reserved - Todos os Direitos Reservados - Melhor visualizado em 1024x768