NÓS VAMOS INVADIR SUA PRAIA – QUANDO TUDO COMEÇOU
6.JANEIRO.2012 | CATEGORIA: Textos
Mais um pacote que chega pelos Correios, só que dessa vez não é um embrulho qualquer. A simpática e talentosa escritora e colega jornalista Andréa Ascenção enviou seu livro "Nós Vamos Invadir Sua Praia" (Editora Belas-Letras, 350 págs.), saborosa obra que relata com precisão, simplicidade e bom humor a história de um dos grupos seminais do Rock brasileiro, o Ultraje a Rigor.
 
E, a despeito de o estilo da banda nem sempre se adequar à linha editorial da ROADIE CREW, não dá pra negar a importância e a qualidade de seu trabalho, principalmente se analisarmos a questão pelo viés histórico. E, no caso deste redator, a relação com a banda, se não chega às vias da intimidade, acabou se tornando, no mínimo, marcante.
 
Corria o ano de 1985. A primeira edição do "Rock In Rio", apesar de todos os seus equívocos, acabou sendo um divisor de águas na história do Rock no Brasil. Foi a partir dali que as bandas nacionais passaram a trabalhar com um mínimo de condições e foi quando os astros internacionais começaram a incluir nosso país nas suas turnês mundiais. A consequência natural disso foi uma maior abertura por parte da mídia para o "novo" estilo, culminando com o surgimento de publicações especializadas.
 
Sempre querendo unir minhas duas paixões – Rock e Jornalismo –, vi ali uma boa chance para dar um passo além da assessoria de imprensa estatal. E não demorou para surgir a primeira oportunidade: no início daquele mesmo 1985, a editora carioca que publicava as revistas "Roll" (especializada em Rock e Pop em geral), "Metal" (Heavy Metal e Hard Rock) e "Mix" (técnicas e equipamentos) precisava de um setorista em São Paulo, onde eu morava na época. Encaminhei o material solicitado e me pediram um texto para avaliação. Fui cobrir, por conta própria, um show com três bandas iniciantes – uma delas atendia pelo nome de Capital Inicial... Texto enviado, não demorou para receber o tão esperado telefonema. Num português bem claro: eu estava "dentro"!
 


Com a cena do Rock brasileiro em total ebulição, a primeira matéria para a qual fui escalado foi justamente a cobertura do show de lançamento do primeiro disco do Ultraje a Rigor, o até hoje atual Nós Vamos Invadir Sua Praia. Num universo em que tudo, de Blitz a Kid Abelha, era chamado de "Rock", eu acreditava que o Ultraje era um dos poucos grupos a honrar de fato esse nome – Ira!, Plebe Rude e Barão Vermelho eram alguns dos (poucos) outros que eu julgava dignos desse epíteto.
 
E lá fui eu cobrir o show do Ultraje a Rigor no extinto mas na época famosíssimo Rádio Clube. O ritual de se apresentar junto à assessoria de imprensa, receber uma credencial (ou pulseira) e entrar na casa "passando na frente" de todo mundo, algo que se tornaria uma rotina nas quase três décadas que se sucederam, foi um acontecimento quase surreal naquele dia. Desde que, adolescente, devorava os textos de revistas como "Rock, a História e a Glória", principalmente aqueles assinados pelo genial Ezequiel Neves, meu sonho era ser crítico de Rock. "Crise vocacional" é um problema que nem imagino como seja...
 
E lá estavam Roger (voz e guitarra), Carlinhos (guitarra), Maurício (baixo) e Lêospa (bateria) no palco – e eu ali embaixo, encarregado de relatar tudo para os leitores da revista "Roll". Foi um belíssimo show, com a casa lotada por um público insano por ver a banda no palco (mas nada sequer próximo do que aconteceria poucos meses depois com o RPM... Só que essa história fica para uma outra oportunidade). Procurei relatar tudo que ocorreu da forma mais fiel possível, e lendo hoje minha resenha confesso que o texto final ficou até certo ponto ingênuo – apesar de que a emoção está lá e, no fim das contas, é isso que importa.
 
A partir de então, foi uma pauta atrás da outra. Entrevistei em questão de meses bandas como Titãs, RPM, Ira!, Inocentes e o próprio Ultraje. Não parei até hoje, nem pretendo. Se o Jornalismo é uma cachaça pelo tanto que vicia, o Jornalismo musical deve ser pior que heroína... E aquele primeiro show acabou se tornando um marco para mim, que foi totalmente revivido ao ler (devorar?) o livro de Andréa Ascenção.
 
Um detalhe bastante interessante para encerrar: o lançamento do LP (era isso que existia naquela época...) Nós Vamos Invadir Sua Praia aconteceu exatamente no dia 13 de julho de 1985. Nessa mesma data, nos EUA e na Inglaterra, acontecia o festival "Live Aid", que, como todo mundo sabe, foi um evento promovido pelo vocalista Bob Geldof, do terrível Boomtown Rats, com o objetivo de levantar fundos para amenizar a fome que devastava a Etiópia. Por conta da importância desse evento, o dia 13 de julho passaria a ser o Dia Mundial do Rock. O mesmo dia em que, num país que ainda dava seus primeiros passos no assunto "Rock", comecei minha trajetória na crítica musical. Provavelmente o destino quis dizer alguma coisa com essa coincidência...



VOLTAR
 
Antonio Carlos Monteiro
Redator
tony@roadiecrew.com
Roadie Crew copyrights © 2009 - All Rights Reserved - Todos os Direitos Reservados - Melhor visualizado em 1024 x 768 - Site desenvolvido por Abstrata